DIOMAR DA VEIGA

Testemunho de Diomar da Veiga – Batizado em 16/11/2002 – Igreja Belém

Fui por 24 anos empregado de uma das maiores empresas estatais do Paraná e na época que ela foi privatizada comecei a procurar algo para trabalhar, porque aderi ao plano de demissão voluntária. Nessa busca, encontrei um restaurante muito bonito que estava à venda e quem me atendeu foi o gerente que me convenceu a comprá-lo garantindo uma remuneração mensal interessante. Acreditei nele e investi tudo que tinha naquele empreendimento.

Na época minha situação financeira começou a ficar turbulenta, nada do que aquele gerente disse se cumprira, e eu ficara na mão dele porque não conhecia nada do ramo. Depois de alguns desacordos, ele simplesmente sumiu e me deixou na mão. Minha situação foi piorando cada vez mais e um dia ao conversar com um dos meus fornecedores de verduras ele me indicou uma pastora de uma grande igreja de Curitiba.

A pastora e também outro pastor foram até meu restaurante no centro, conversamos, oraram, e ali me entreguei para Jesus, até porque tive fé que minha situação iria melhorar.

Comecei a freqüentar os cultos, mas não larguei meus costumes do mundo, mesmo porque os pastores eram extremamente tolerantes. Permaneci algum tempo, mesmo não gostando porque eles pregavam insistentemente sobre o dízimo e faziam a coleta durante o culto e eu não gostava daquela atitude. 

Decidi então deixar aquela congregação e fui para outra maior ainda, tradicional. Lá, encontrei frieza quase total e o mesmo problema: o foco principal era o dízimo, sempre. Fiz amizade com um Pastor de uma das igrejas e lá comecei a ir. Como ficamos amigos, ele começou a confidenciar suas intrigas com outros pastores, reclamações, e que iria deixar de pregar lá onde íamos e ia começar a pregar em outras cidades e igrejas, porque ganhava mais (R$)! Desisti daquela congregação.

Cheguei à conclusão que se ficasse em qualquer das igrejas que havia freqüentado ia perder minha salvação de qualquer forma, e ainda ia ficar "amarrado" e decidi então - que já que não ia me salvar -  dar um basta. Já que ia mesmo perder a salvação – eu pensava – pelo menos aproveitaria a vida, ia voltar para o mundo.

Mas nunca perdi a fé em Deus, mesmo mundano.  Já à beira da falência, conheci uma missionária (irmã Shirlei, lembro até hoje) que me pareceu ser uma crente verdadeira. Um dia vi essa missionária numa situação muito difícil, pois estava também sendo despejada, junto com sua família. Naquela época eu estava separado de minha esposa e morava em um sobrado sozinho. Decidi voltar para minha casa, para minha família, e cedi o sobrado para a missionária e a família dela, onde morou até que no processo de falência perdi aquele imóvel.

Antes dela sair um dia falou comigo e disse: "Olha, na tua situação, só uma igreja pode te ajudar, você deve ir lá e procurar o irmão Hugo, que não sei se é homem ou mulher, parece um anjo, uma coisa assim...". Lembro até hoje.

Procurei essa igreja e encontrei. Marquei para ir lá um dia e fui à noite, mas não achei o dirigente, irmão Hugo, e quem me recebeu foi seu segundo, irmão Israel. A primeira impressão que tive foi estupendamente positiva, fui apresentado ao grupo coral, lá recebi inúmeras visões e profecia e saí aliviado, com uma paz que há anos não sentia. Foi como se eu estivesse no meio de um tornado avassalador e de repente tinha passado a tempestade e o sol voltado a brilhar.

Fui no primeiro culto mas já deixei dinheiro separado para entregar quando passassem aquela famosa "sacolinha". O culto terminou, não teve coleta de dinheiro, não teve pregação sobre dízimo e me maravilhei e por isso continuei a freqüentar a igreja, cada vez mais maravilhado com as coisas que via.

Fui fazendo comparações entre as igrejas pelas quais já tinha passado e a Igreja Belém. A diferença era abismal, era de um copo de água barrenta (de valeta), para um copo de água mineral límpida e puríssima. Comparar a Igreja Belém com outras era como comparar uma Pistola .45 com uma flor, com uma rosa.

As diferenças foram ficando tão evidentes que até fiz na época uma tabela comparativa e que guardo até hoje:

O QUE ACONTECE NA IGREJA BELÉM E EM OUTRAS CONGREGAÇÕES QUE FREQUENTEI

Belém: Deus fala nos cultos através de profecia - (Provérbios 29-18)

Outras igrejas que frequentei: Raríssimas vezes falou

Belém: Enumera pecados, exorta, mostra os erros, pensamentos, atitudes - (1º Coríntios 14-25)

Outras igrejas que frequentei: Nunca fui enumerado ou exortado – eram tolerantes comigo, não mostravam meus erros

Belém: Pregadores e obreiros não recebem salários da Igreja (Mateus 10-8)

Outras igrejas que frequentei: Os pastores e obreiros que conheci eram assalariados das Igrejas

Belém: Segue as regras sobre Vestimentas de Homem e Mulher (Deuteronômio 22-5)

Outras: Não cumpriam

Belém: Guarda todos os mandamentos, inclusive o sábado (Êxodo 20 - João 14-21)

Outras: As que frequentei não guardavam

Belém: Não consome alimentos impuros (Deuteronômio 14, Levítico 11)

Outras: Nos lugares que fui não obedeciam 

Belém: Obedece Purificação (nascimento,casamento) - Levítico 12

Outras: Nunca tinha ouvido ouvi falar deste assunto

Belém: Utiliza atavio e vestimentas apropriadas - (1ª Timóteo 2-9)

Outras: Não utilizavam

Belém: Não existem Pregadoras - (1º Coríntios 14-34 - 1º Timóteo 2-12)

Outras: Pastoras pregavam e dirigiam igrejas

Belém: Objetivo é exclusivamente a Salvação das pessoas - Busca as coisas espirituais - (Mateus 6-20)

Outras: Buscavam o contentamento pela aquisição de bens materiais, bençãos carnais.

Belém: Tem como pilares: Arrependimento, Reconhecimento, Humilhação e Perdão 

Outras igrejas que frequentei: Tolerância, Prosperidade Material, Bençãos carnais – Arrecadação de Dinheiro

Belém: Reverência na Casa de Deus - (Hebreus 12-28)

Outras: Indiferença, desrespeito

Belém: Confissão dos Pecados (Tiago 5-16)

Outras: Nunca ouvi falar nisso nas igrejas que frequentei

Belém: Amor entre os irmãos - (Salmo 133-1)

Outras: Sentia só frieza e indiferença 

Belém: Batismo em rio de água corrente - (Mateus 3-13:17)

Outras que frequentei: Batismo em piscina

Belém: Premissas da Igreja: Doutrina dos Apóstolos - (Efésios 4-14)

Outras: Dogmas e resoluções dos dirigentes homens

E outras muitas diferenças. Hoje vejo que se não é fácil alcançar a salvação na Igreja Belém, nas outras que frequentei é impossível. Não pretendo deixar essa congregação, essa igreja que Deus sempre fala através de profecia que é a "Menina dos Seus Olhos".

Nunca esqueci uma profecia que escutei uma vez na cidade de Villarrica, sede da Igreja, onde Jesus falou: "Chego até a porta das Igrejas, mas não consigo entrar, porque lá não há lugar para mim..." Essas palavras não saem da minha cabeça há anos. Ora, se não há lugar para Jesus nas Igrejas, quem está lá ????

Para encerrar meu testemunho gostaria de deixar meu exemplo para todos que estiverem lendo: Busquei à Deus e a sua perfeita justiça em primeiro lugar e o restante ele acrescentou: Deus transformou minha vida totalmente, restaurou a parte financeira e matrimonial, restabeleceu minha confiança no futuro, me trouxe PAZ e ALEGRIA, me deu uma nova família em Cristo, me fez um homem feliz, confiante, cuida de mim e da minha família 24 horas por dia, mostra meus erros mas também me apascenta com amor, tem me ensinado como viver corretamente (como um Pai ensina ao seu filho), tem me amparado e fortalecido. Quando decidi entregar minha vida para Jesus, foi a melhor decisão da minha vida ! Só sinto mesmo ter levado tanto tempo para tomar essa sábia decisão.

Que a Paz de Deus esteja permanentemente com cada um.