DEUS JAMAIS TE ABANDONARÁ

Pregador: José Hugo Borowiski Filho

Leitura Bíblica: Marcos 16:1-7

Tema: Deus Jamais nos Abandonará

1 MC 16:1-7

E, passado o sábado, Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo.

2 E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol.

3 E diziam umas às outras: Quem nos revolverá a pedra da porta do sepulcro?

4 E, olhando, viram que já a pedra estava revolvida; e era ela muito grande.

5 E, entrando no sepulcro, viram um jovem assentado à direita, vestido de uma roupa comprida, branca; e ficaram espantadas.

6 Ele, porém, disse-lhes: Não vos assusteis; buscais a Jesus Nazareno, que foi crucificado; já ressuscitou, não está aqui; eis aqui o lugar onde o puseram.

7 Mas ide, dizei a seus discípulos, e a Pedro, que ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis, como ele vos disse.

Desatamento

Deus nos chama pelo nome -  Deus nos levanta do monturo - Deus precisa de nós

Amado irmão, você cometeu algum pecado que te separou de Deus? Já sentiu o vazio de "perder a alegria da salvação" que cita o salmista, por sentir o Espírito Santo apartado de ti? Já chorou amargamente arrependido e se confessou, mas ainda se sente incapaz de voltar à presença do Senhor?

Querido, não há motivos para não voltar. Por que você insiste em lembrar da tua falha? Por que você permite que o acusador fale em tua mente? Por que abala tua fé, perseguido pela culpa, como que diante duma parede que te separa de Deus? Pois eu te afirmo irmão, que hoje o Senhor derrubará essa parede. Hoje, conheceremos o tipo de coração que o Senhor tem para conosco. O evangelho de Marcos registra esse fato, mostrando que diante dessa culpa, não há o que você fazer, senão, correr para Ele. Após a ressurreição do Senhor, um anjo disse àquelas mulheres que contassem aos discípulos, e a Pedro, o que acontecera. Isso nos comove grandemente. Por que ele não disse: Dizei aos discípulos e a Tomé? ( Tomé havia duvidado da ressurreição), ou por que não disse: Dizei aos discípulos e a João? (João era o amado do Senhor).

O anjo não mencionou outro nome senão especificadamente o de Pedro. Mas por que isso? O que havia em Pedro naquele momento que o tornava diferente dos demais? Para entendermos bem este episodio, é preciso saber que somente o evangelho de Marcos o registra dessa forma. Marcos não era um dos apóstolos, e sim um jovem discípulo de Pedro, tanto que o evangelho de Marcos é conhecido entre os estudiosos da Palavra como o "evangelho de Pedro", pois Pedro era um homem simples, que não tinha estudo e teria ditado o evangelho a Marcos. A frase" Dizei a seus discípulos e a Pedro" foi citada somente nesse evangelho. Ela não tinha tanta importância para os outros evangelistas senão para Pedro. Sabe por que? Pedro cometeu um grave pecado três dias antes desse evento, tão grave, que impediria que o Senhor o reconhecesse como seu filho, que o defendesse diante dos anjos de Deus (vide Lc 12:8-9). Significa irmão, que o Senhor o havia alertado, o Senhor também havia profetizado a falha que cometeria ( Pedro, antes que o galo cante duas vezes, tu me negaras três vezes). Assim você irmão, sente o peso da tua falha? Sabe que a palavra te condena? Foi alertado como Pedro, quando ouvia as pregações, recebeu também a profecia? Você não está sozinho.

Vamos voltar a Pedro.

Ele negou conhecer o Senhor, ainda que as evidências deixassem claro que era um dos dele. Jesus estava diante do Sinédrio sendo insultado, apanhando, prestes a ser condenado à morte e Pedro o havia seguido de longe, estava assentado no pátio ouvindo de perto as aflições do Senhor. Em meio a isso, chega uma criada do sumo sacerdote e o reconhece: Você estava com Jesus!

Ele nega. Não o conheço! E assim mais uma vez ela insiste que Pedro era um deles diante de outras pessoas, e outra vez ele nega. Por ultimo um outro o reconhece e diz: És um deles porque és Galileu. E Pedro jura, pragueja e afirma que não conhece a Jesus. Ao ouvir o segundo cantar do galo, Pedro se lembra das palavras do Senhor e cai em si desabando em lágrimas. Horas antes, na ceia, quando Pedro afirmava que iria com Jesus ate a morte, quem poderia imaginar esse tropeço?. Observe que ele não tropeçou diante de um grande, de um sacerdote ou Pilatos, mas caiu justamente diante de uma pergunta feita por uma criada, uma mulher do povo, uma pessoa que não teria poder de condená-lo a morte. Imagino o que Pedro pensava naqueles momentos: " Fui eu que confessei que Ele era o Cristo e que era o Filho de Deus, entretanto quando o vi prestes a ser crucificado, o neguei, cometi um grande pecado, teria sido melhor se ele não soubesse que eu o neguei, no entanto no momento em que o negava pela ultima vez, Ele se virou e olhou pra mim!

Que farei agora?" Assim também é o nosso sentimento diante de nossas falhas para com Deus. Vergonha, fracasso e derrota nos tomam, pensamos em desistir, sabemos que assim como Pedro diante daquelas pessoas, também nós somos reconhecidos "como um deles", como um crente, e ainda assim com nosso pecado o negamos. Aquele que aqui hoje sabe bem do que trata essa palavra, diz: Oh, eu sou Pedro. Eu já caí, o que eu cometi não é um pecado comum, receio que nunca mais poderei me aproximar do Senhor, temo que o Senhor já me abandonou e jamais me encarregará para uma tarefa importante, que Ele já não confiará mais em mim. Assim você lembra das maravilhas que passou ao lado do Senhor, das obras, dos prodígios, dos milagres, como Pedro, pode ter lembrado do momento que caminhou sobre o mar, da multiplicação dos pães, do monte da transfiguração. Ele pode ter lembrado também, como o Senhor me alertava, "vigiai e orai para que não entreis em tentação" e assim também você, lembra das vigílias de oração que não participou, lembra dos avisos do Senhor que não colocou por obra e pensa em teu coração: eu posso até voltar, mas nunca mais será como antes. Hoje Deus te prova o contrário.

Voltemos à Palavra.

Pedro estava arrependido, havia chorado amargamente, mas também havia visto o seu amigo e Senhor morrer. Imaginemos a aflição que tomava o seu coração naquele fim de semana. Mas o Senhor ressuscitou! As irmãs chegaram gritando, trazendo a mensagem: Fomos ao túmulo, mas o corpo não estava lá! Um anjo nos apareceu dizendo que Ele ressuscitou! Pedro! O anjo falou o teu nome, o Senhor mandou te avisar que ressuscitou! Imagine Pedro, " Oh, mesmo eu o tendo negado, Ele se lembrou de mim, Ele não me abandonou, não mencionou o nome de ninguém senão o meu.

Provavelmente se Pedro tivesse ouvido as mulheres dizendo: O anjo mandou avisar os discípulos, ele não se sentiria digno, como você não se sente digno agora, ele pensaria:

Ah, mandou chamar os discípulos, eu não posso ir junto com eles encontrar o Senhor, eu falhei, eu pequei. Como você pode pensar: A igreja, o ministério é para os santos, eu estou sujo, não sou digno de estar no meio deles.

Mas o Senhor te chama pelo nome, chama os santos e o teu nome, chama os obedientes e o teu nome, o Senhor não te abandonou.

Esta é a vitoria irmãos!

Vocês sabiam que uma vez que o Senhor te salvou, Ele te salvará até o fim? Ainda que você esteja desencorajado, o Senhor jamais te abandonará. "Ele ergue do pó o desvalido e do monturo o necessitado, para o assentar com os príncipes, sim, com os príncipes do seu povo" SM 2:8. Após a ressurreição, quando Jesus aparece aos discípulos junto ao mar de Tiberíades, Jesus perguntou a Pedro três vezes: Tu me amas? Apascenta minhas ovelhas. Tu me amas? Claro que Pedro o amava, depois de tudo que haviam passado, depois do perdão, seu coração era profundo amor e agradecimento. E Jesus sabia disso, por isso o entregava com essas palavras a missão de apascentar sua igreja, de pastorear suas ovelhas. Jesus pode te confiar algo ainda maior depois de apresentares um verdadeiro coração arrependido diante dele, pois muito ama quem muito foi perdoado. Por esse motivo o Senhor te deixou exemplo na atitude de Pedro, após ouvir o seu nome não deixou mais a culpa o perseguir e disse: Eis-me aqui para o Senhor e para sua obra, pois logo após esse encontro no Mar de Tiberíades, Pedro teve participação fundamental na Missão dos discípulos e na formação da igreja. Esse é o mesmo Pedro que vemos após a ascensão do Senhor, no dia de Pentecostes, cheio do Espírito Santo convertendo mais de 3.000 corações e sendo um pilar da igreja primitiva de tal modo que os enfermos eram curados por sua sombra.

Pedro devia ter grande satisfação interior em poder demonstrar como mudou de atitude desde aquela noite. Eis o exemplo irmão! Imite-o!

Três dias após a morte do Senhor, sob a nuvem da culpa, Pedro estava calado e entristecido porque havia tropeçado, mas o Senhor o chamou pelo nome porque confiava nele para continuar a Missão de Jesus, porque conhecia seu filho, como conhece você e precisa de você. Agora amado irmão, qual o tamanho, a largura, a profundidade da falha, do pecado que fará o Senhor te abandonar?

Ele voluntariamente foi ao calvário por te amar, poderia esse amor diminuir?

Hoje pode ser fácil pra você não amar mais o Senhor, não se aproximar mais Dele, não voltar mais a igreja, ignorar os irmãos, não ler mais a Bíblia, mas é impossível pra Ele não te amar, te abandonar ou te esquecer. Se você acha difícil, diante do Senhor, renovar a tua aliança com Ele, ou apenas para pedir perdão, tenha apenas desejo verdadeiro no teu coração e Ele te dará forças, se você tropeçou, Ele te amparará, se você caiu, Ele te levantará.

Revise o teu coração agora, o que está te separando daquele primeiro amor, o que esta fazendo você abandonar os ministérios na casa de Deus, o que esta esfriando teu coração, revisa irmão, revisa o teu coração, Ele ainda tem aquele mesmo olhar, aquele olhar que perdoou a Pedro, ouça amado, ouça, Ele esta chamando o teu nome. Venha para ser perdoado, venha para ser renovado. Porque hoje Ele te chama para um concerto para que Naquele dia grandioso, você possa ouvir mais uma vez essa voz sublime que esta chamando agora, Ele vai chamar teu nome para a Salvação Eterna.

Amém